• Joana Grácio

A “carne cultivada” já não é só uma experiência de laboratório.

Atualizado: Ago 25

O consumidor atual está cada vez mais atento e, preocupações ambientais, de saúde e bem-estar animal, fazem aumentar a procura por produtos proteicos alternativos à carne “normal”.



O consumidor atual está cada vez mais atento e, preocupações ambientais, de saúde e bem-estar animal, fazem aumentar a procura por produtos proteicos alternativos à carne “normal”.

Existem cada vez mais opções de “carne” à base de vegetais nas prateleiras dos supermercados e menus de restaurantes, no entanto um produto de consumo, cultivado a partir de células musculares animais é algo até há pouco tempo só testado em laboratório e não acessível ao consumidor vulgar.


Contudo, Singapura, através da sua agência de alimentos nacional, ao considerar os resultados positivos dos testes de segurança do produto carne de frango cultivado da empresa Eat Just, abriu portas a um mercado até aqui sem regulação e inacessível.

A agência alimentar de Singapura deu autorização para que o produto de carne de frango cultivado, fosse vendido como um ingrediente no produto de nuggets da Eat Just, empresa com sede em São Francisco. E hoje é possível consumir este tipo de produto neste local da Ásia.


A agência estabeleceu uma estrutura regulatória para “novos alimentos” para garantir que a carne cultivada e outros produtos de proteína alternativos atendam aos padrões de segurança antes de serem vendidos em Singapura. Josh Tetrick, cofundador da Eat Just revelou num comunicado, que tem a certeza de que a aprovação regulatória para carne cultivada da sua empresa, será a primeira de muitas em Singapura, assim como em países ao redor do mundo. Referiu ainda que, nenhum antibiótico foi usado no processo, e o frango cultivado apresentava menor carga microbiológica do que o frango convencional.


“A primeira permissão regulatória do mundo para carne real de alta qualidade criada diretamente a partir de células animais para consumo humano seguro abre caminho para um próximo lançamento comercial em pequena escala em Singapura”, disse Eat Just.

Ainda que o processo regulatório seja longo e lento assim se abrem portas para que também na Europa, daqui a algum tempo, possam vir a ter acesso também a este tipo de produtos, já que existem muitas start-ups na Europa também a dedicar-se ao fabrico deste novo tipo de alimento como é o caso Ivyfarm tecnologies, Mosa Meat.


Este artigo foi escrito com base em diferentes peças (1, 2, 3, 4, 5, 6, 7).

4 visualizações0 comentário